Professora vira atriz pornô depois de ser presa por manter relação sexual com aluno





Se a profissão de professor pode parecer um pouco amarga, há quem resolva largar a carreira para apostar em outro ramo mais prazeroso. Foi o que aconteceu com a educadora Mary Beth Haglin, de 25 anos, que largou as atividades em sala de aula para virar atriz pornô.

Essa mudança de vida aconteceu após ela se envolver em uma polêmica numa escola norte-americana. A jovem, que lecionava no Ensino Médio na Washington High School, em Cedar Rapids, estado de Iowa (EUA), abandonou a profissão depois de ser presa por manter relações sexuais com um aluno de 17 anos.

Assim que o assunto veio à tona, ela foi julgada e depois presa por cerca de 90 dias e mais dez anos em liberdade sob vigilância. Logo que saiu da cadeia, ela arriscou justamente na área que a satisfazia: atividades sexuais. Haglin virou stripper em um bar onde morava, aceitando depois o convite para participar de filmes eróticos.

Depois que largou o magistério, a jovem contou a um programa de televisão americana que leva a vida melhor do que na profissão que exercia anteriormente.

Entenda a história






Segundo o jornal norte-americano The Gazette, a relação entre a professora o estudante começou em outubro de 2015 e se estendeu até o ano passado. Em outubro de 2016, ela disse sobre a acusação: "Eu sou a vítima".

Mary contou ainda que a situação, assim que começou o relacionamento, foi considerada delicada e no momento estava vulnerável. Mesmo querendo terminar a relação, ela diz que o adolescente ameaçou revelar toda a história à direção da escola.

Assim que foi presa, em julho de 2016, ela acusou os diretores, afirmando de que sabiam do caso, mas fingiam não acreditar para proteger a imagem da instituição. "Todas essas pessoas sabiam o que estava acontecendo, mas fingiram, não queriam colocar isso no centro das atenções", revelou na época.

Uma pessoa, que não era ligada à escola, denunciou o caso à polícia. Logo em seguida, Mary tentou se defender em programas de televisão. "Fizemos #sexo quase, diariamente, no carro dele, no meu carro, na casa da mãe dele e na casa do pai dele", relatou a professora sobre as relações sexuais que mantinha com o jovem. #Mulher #porno






(Vimos em blastingnews.com)